Postal da Conceição com 200 anos à mistura

Este desenho do sítio da Conceição tem pelo menos 230 anos e saiu das mãos do engenheiro e brigadeiro José Sande de Vasconcelos. A legenda está praticamente ilegível e parecem serem visíveis várias casas e uma pessoa que possivelmente o desenhador pediu para posar no centro e que penso corresponder ao da fonte que existia…

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

crop_propospecto_do_lugar_da_conceicao
Prospecto do Lugar da Conceição tirado do ponto a segundo o Coronel José Sande de Vasconcelos, parte de “Cidade de Tavira e seus arredores”, datado de 1780 (original: http://purl.pt/22228

Este desenho do sítio da Conceição tem pelo menos 230 anos e saiu das mãos do engenheiro e brigadeiro José Sande de Vasconcelos. A legenda está praticamente ilegível e parecem serem visíveis várias casas e uma pessoa que possivelmente o desenhador pediu para posar no centro e que penso corresponder ao da fonte que existia (Anica, 2008) onde é agora o Parque Infantil. Ao fundo, à direita vê-se as costas da Igreja. Apercebemo-nos de uma rua que corre de uma ponta à outra do desenho, que penso que seja a Estrada Real que ia de Tavira a Castro Marim, o caminho para as Cabanas devia estar por aqui, um bocado mais para a direita, ou se calhar nem visível. Afinal naquela altura Cabanas já aparece em documentos e além do mais, teria que existir um caminho para o Forte de São João.

Sande de Vasconcelos na carta afirma que o desenho foi tirado do ponto a (pode-se ver onde está esse ponto na carta militar de que este desenho vem incluído),  que penso ser o terreiro onde os carros estacionam actualmente e que fica do lado esquerdo da Rua 25 de Abril para quem entra em Conceição vindo da Nacional 125 via Rotunda do Golfista (ou devia chamar-lhe Rotunda do Benamor ?) . O problema é que o tempo gastou de forma irrecuperável este documento. Mais sorte teve o desenho que engenheiro e cartógrafo militar com patente de Brigadeiro e mais tarde de Coronel fez de forma semelhante da Luz. Muita história ainda há-de se contar a respeito deste senhor. É aliás, de um excerto da mesma carta que foi extraído o banner deste blog, que comprova a primeira referência a Cabanas num mapa (apesar de haver registos de habitantes desde 1740).

 

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

Postal da Conceição com 200 anos à mistura

Este desenho do sítio da Conceição tem pelo menos 230 anos e saiu das mãos do engenheiro e brigadeiro José Sande de Vasconcelos. A legenda está praticamente ilegível e parecem serem visíveis várias casas e uma pessoa que possivelmente o desenhador pediu para posar no centro e que penso corresponder ao da fonte que existia…

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

crop_propospecto_do_lugar_da_conceicao
Prospecto do Lugar da Conceição tirado do ponto a segundo o Coronel José Sande de Vasconcelos, parte de “Cidade de Tavira e seus arredores”, datado de 1780 (original: http://purl.pt/22228

Este desenho do sítio da Conceição tem pelo menos 230 anos e saiu das mãos do engenheiro e brigadeiro José Sande de Vasconcelos. A legenda está praticamente ilegível e parecem serem visíveis várias casas e uma pessoa que possivelmente o desenhador pediu para posar no centro e que penso corresponder ao da fonte que existia (Anica, 2008) onde é agora o Parque Infantil. Ao fundo, à direita vê-se as costas da Igreja. Apercebemo-nos de uma rua que corre de uma ponta à outra do desenho, que penso que seja a Estrada Real que ia de Tavira a Castro Marim, o caminho para as Cabanas devia estar por aqui, um bocado mais para a direita, ou se calhar nem visível. Afinal naquela altura Cabanas já aparece em documentos e além do mais, teria que existir um caminho para o Forte de São João.

Sande de Vasconcelos na carta afirma que o desenho foi tirado do ponto a (pode-se ver onde está esse ponto na carta militar de que este desenho vem incluído),  que penso ser o terreiro onde os carros estacionam actualmente e que fica do lado esquerdo da Rua 25 de Abril para quem entra em Conceição vindo da Nacional 125 via Rotunda do Golfista (ou devia chamar-lhe Rotunda do Benamor ?) . O problema é que o tempo gastou de forma irrecuperável este documento. Mais sorte teve o desenho que engenheiro e cartógrafo militar com patente de Brigadeiro e mais tarde de Coronel fez de forma semelhante da Luz. Muita história ainda há-de se contar a respeito deste senhor. É aliás, de um excerto da mesma carta que foi extraído o banner deste blog, que comprova a primeira referência a Cabanas num mapa (apesar de haver registos de habitantes desde 1740).

 

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

Postal da Conceição com 200 anos à mistura

Este desenho do sítio da Conceição tem pelo menos 230 anos e saiu das mãos do engenheiro e brigadeiro José Sande de Vasconcelos. A legenda está praticamente ilegível e parecem serem visíveis várias casas e uma pessoa que possivelmente o desenhador pediu para posar no centro e que penso corresponder ao da fonte que existia…

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

crop_propospecto_do_lugar_da_conceicao
Prospecto do Lugar da Conceição tirado do ponto a segundo o Coronel José Sande de Vasconcelos, parte de “Cidade de Tavira e seus arredores”, datado de 1780 (original: http://purl.pt/22228

Este desenho do sítio da Conceição tem pelo menos 230 anos e saiu das mãos do engenheiro e brigadeiro José Sande de Vasconcelos. A legenda está praticamente ilegível e parecem serem visíveis várias casas e uma pessoa que possivelmente o desenhador pediu para posar no centro e que penso corresponder ao da fonte que existia (Anica, 2008) onde é agora o Parque Infantil. Ao fundo, à direita vê-se as costas da Igreja. Apercebemo-nos de uma rua que corre de uma ponta à outra do desenho, que penso que seja a Estrada Real que ia de Tavira a Castro Marim, o caminho para as Cabanas devia estar por aqui, um bocado mais para a direita, ou se calhar nem visível. Afinal naquela altura Cabanas já aparece em documentos e além do mais, teria que existir um caminho para o Forte de São João.

Sande de Vasconcelos na carta afirma que o desenho foi tirado do ponto a (pode-se ver onde está esse ponto na carta militar de que este desenho vem incluído),  que penso ser o terreiro onde os carros estacionam actualmente e que fica do lado esquerdo da Rua 25 de Abril para quem entra em Conceição vindo da Nacional 125 via Rotunda do Golfista (ou devia chamar-lhe Rotunda do Benamor ?) . O problema é que o tempo gastou de forma irrecuperável este documento. Mais sorte teve o desenho que engenheiro e cartógrafo militar com patente de Brigadeiro e mais tarde de Coronel fez de forma semelhante da Luz. Muita história ainda há-de se contar a respeito deste senhor. É aliás, de um excerto da mesma carta que foi extraído o banner deste blog, que comprova a primeira referência a Cabanas num mapa (apesar de haver registos de habitantes desde 1740).

 

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

Postal da Conceição com 200 anos à mistura foi publicado originalmente aqui

A origem do topónimo “Gomeira”.

Topónimos são nomes que usamos para nos referirmos coloquialmente a lugares geográficos ou populacionais  sem sabermos realmente da sua origem, cuja memória se perde desde tempos imemoriais. Gomeira é porventura o topónimo mais antigo em toda a freguesia da Conceição. Ele persiste no nome de uma fazenda privada e na urbanização da “Quinta da Gomeira”,…

A origem do topónimo “Gomeira”. foi publicado originalmente aqui

Topónimos são nomes que usamos para nos referirmos coloquialmente a lugares geográficos ou populacionais  sem sabermos realmente da sua origem, cuja memória se perde desde tempos imemoriais.

Gomeira é porventura o topónimo mais antigo em toda a freguesia da Conceição. Ele persiste no nome de uma fazenda privada e na urbanização da “Quinta da Gomeira”, para além de figurar também na pesquisa de base de dados de códigos postais dos CTT, entre outros.

Localização actual da urbanização “Quinta da Gomeira” dentro da vila de Cabanas (fonte: Google Maps)

O “Google Maps” também aponta para um lugar com essa denominação e não parecem existir muitos mais lugares em Portugal com o mesmo nome. De acordo com o Dicionário luso-brasileiro “Gomeira” é um nome colectivo que pode ser usado de modo genérico para indicar árvores de frutos mas também para designar prados de plantas que libertam gomas, nomeadamente resinas. Estaria a designar uma mata de pinheiros bravos que é uma árvore resinosa ? Mas o facto de o termo ter sido usado pela primeira vez por Afonso III no seu foral de Tavira pouco tempo após a conquista da cidade do Séqua sugere que o termo já existia no século XIII, ou pelo menos terá sido criado nesse tempo. Como no mesmo foral o referido rei entrega toda a administração daquelas terras à ordem guerreira dos monges de Santiago d’Espada, tal parece sugerir que é essa a origem do outro topónimo “Mato do Ordem” daí em doravante igualmente usado com frequência na documentação histórica. Talvez a finalidade destas terras situadas entre os termos de Tavira e Cacela ganharam este nome em virtude de as matas serem generosas gomeiras, se de pinheiros bravos ou de outras resinosas, já não há maneira de averiguar.
Actualmente o termo subsiste para referir apenas os terrenos existentes entre a N125 e a linha de Comboio para norte do lugar da Canada e a oeste da Conceição. Canada é igualmente outro topónimo bem antigo, e a origem por sua vez  terá a ver com o canavial que acompanha a ribeira da Conceição (chamada por alguns de Benamur) até à sua foz na ria. Ele no passado foi usado para delimitar propriedades, para além de ter sido dele a origem da primeira estrada de Conceição a Cabanas.
Regressando à questão do termo “Gomeira”, devido à sua antiguidade, a sua origem poderá ser árabe, visto ser referido logo a seguir à conquista de Tavira aos mouros.

ACTUALIZAÇÃO: No Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa é referido que “Gomeira” vem de “gumara”, uma tribo berbere originária de Marrocos.

Bibliografia:

  • Anica, Arnaldo Casimiro – Monografia da Freguesia da Conceição de Tavira, 2008
  • Anica, Arnaldo Casimiro – Tavira e o seu termo.
  • Chagas, Ofir – Tavira, Memórias de uma cidade.

A origem do topónimo “Gomeira”. foi publicado originalmente aqui